PCPR FORMA 200 NOVOS POLICIAIS
16/07/2021 - 10:57

A Escola Superior de Polícia Civil do Paraná (ESPC) forma em agosto cerca de 200 novos policiais que estarão dispostos em diversas delegacias de todo o estado. Esses policiais, que foram aprovados no último concurso da polícia civil para o cargo de escrivão, estão na fase final do treinamento e nos próximos meses serão lotados nas delegacias que estão com menor efetivo deste profissional. “É de extrema importância que a polícia preste um bom atendimento ao público, uma vez que as primeiras informações sobre um crime vêm deste primeiro contato feito na delegacia. Por isso, colocamos uma gama variada de matérias que proporcionam treinamento necessário para que esses novos escrivães ofereçam um bom serviço à população”, informa o diretor da Escola Superior de Polícia Civil, delegado Luiz Alberto Cartaxo Moura.

Este é o primeiro curso de formação de escrivão que dará a titulação de especialista aos alunos que concluírem o curso com êxito, já que é uma pós-graduação em Ciências Criminais de Polícia Judiciária com ênfase na formação de Escrivães de Polícia. Vale ressaltar que a formação começou com as disciplinas teóricas, na modalidade EAD (educação a distância) por conta da pandemia do Covid-19, e nos últimos meses os alunos estão na sede da Escola Superior de Polícia Civil para as aulas práticas. “O principal desafio em realizar o curso durante a pandemia foi a implantação e a funcionalidade do EAD, pois não ter o contato com os alunos presencialmente não era uma realidade dentro da escola, mas graças a dedicação de toda a equipe conseguimos realizar com sucesso essa etapa”, ressalta o chefe da subdivisão de ensino da ESPC, Roney Alberti.

Desde o seu surgimento, em 1976, a Escola Superior de Polícia Civil já formou milhares de policiais, dentre eles, delegados, investigadores, escrivães e peritos. Além da formação profissional, a escola também realiza diversos outros cursos que estão disponíveis aos interessados que atuam na área de segurança pública em todo o país, como, por exemplo, curso de atendimento pré-hospitalar de combate (APH), capacitação continuada em uso progressivo da força, cursos na área de inteligência, cinotecnia policial (operador de cães de detecção), entre outros. Ainda nesse contexto, outro curso de especialização é oferecido pela escola, o de pós-graduação, lato sensu, ênfase em polícia judiciária.

Ao todo a especialização dos novos escrivães conta com 31 disciplinas no Ead com 582 horas/aula e no presencial são 21 matérias com 408 horas/aula. Vale destacar a importância deste trabalho realizado por uma equipe de profissionais que se dedicou e se esforçou para que o melhor fosse oferecido na formação destes novos policiais. “Investimos em um curriculum robusto para que atendesse ao perfil do profissional que foi definido pelo Departamento de Polícia Civil. Dentre as quatro gestões como diretor e os mais de 30 anos que faço parte da escola como professor, nunca vi um curriculum de formação de policiais tão bem montado, com características tão boa. Esta carga horária é ideal e nós da Escola Superior de Polícia Civil temos a certeza que após a formação desses escrivães estaremos disponibilizando profissionais de qualidade dentro das nossas unidades policiais em todo o estado”, afirma o delegado Cartaxo.

A finalização do curso se dá mediante provas objetivas, práticas e física, as quais avaliam se o aluno conseguiu atingir os parâmetros pré-estabelecidos pela Escola Superior de Polícia Civil. “É importante estabelecer alguns critérios para que o resultado avaliação do aluno seja considerado. O primeiro deles é que o aluno seja aprovado dentro do curso de formação. Outro é a classificação final, ou seja, soma-se a nota final do concurso e as notas das provas da escola e assim o estudante consegue escolher o local de lotação. Além disso, a partir do desempenho nessas provas é possível avaliar se o conteúdo programático e a forma como as matérias foram abordadas foram suficientes para a formação ou se necessita de melhoria”, disse. “Queremos que os alunos tenham amor e zelem pela instituição, pois a Polícia Civil passa a ser a mãe desses. É isso que precisamos e esperamos desses novos escrivães”, finaliza o delegado Cartaxo.

Ainda no segundo semestre de 2021, a escola prevê a inicialização de mais um curso de formação com mais aprovados deste mesmo concurso.

Autor: Elizângela Rodrigues

Últimas Notícias